dom. jul 21st, 2019

Rodrigo Maia defende que previdência abranja servidores dos estados e municípios

Hoje (08), os presidentes da República, da Câmara e do Senado se reúnem com os 27 governadores para discutir Previdência e pacto federativo. Objetivo é que haja consenso na aprovação da PEC 6/19.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), defendeu que os estados e municípios sejam mantidos na Nova Previdência (PEC 6/19). Maia participou nesta segunda-feira (6) da Segunda Edição do Congresso das Cidades do Piauí, com o presidente do Senado, David Alcolumbre (DEM-AP), e o governador do estado, Wellington Dias (PT-PI).

Para Rodrigo Maia, não adianta resolver o problema do sistema previdenciário federal e os estados continuarem com problemas fiscais e dificuldades de pagamento de aposentadorias, pensões e salários de servidores. Estados como Minas Gerais e Rio Grande do Sul já estão em situação fiscal colapsada.

Acho que a gente tem que ter responsabilidade de compreender que, como deputados, nós temos que aprovar uma regra que organize o sistema previdenciário do Brasil para os municípios, dos estados e da União. Eu considero isso muito importante e acho que a gente tem que tentar enfrentar compreendendo aqueles parlamentares que têm objeção por questões locais […] Mas hoje, na situação que o Brasil vive não há mais disputas locais. Ou nós vamos enfrentar esses desafios ou vamos todos para o mesmo lugar: para o colapso social e para o colapso previdenciário do Estado brasileiro “, argumentou Maia.

Ele abordou a questão porque vários deputados ainda estão resistentes às ideias, uma vez que temem a cobrança vinda de suas bases. Segundo ele, as despesas correntes do Governo Federal crescem de R$40 a R$50 Bilhões por ano, e negou que a Lei de Responsabilidade Fiscal, que coloca um teto nos gastos, afete o investimento feito em saúde e educação.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: