sáb. jul 20th, 2019

Banco dos BRICS aportará US$ 621 milhões em projetos no Brasil

Apesar do investimento, país já aportou aproximadamente U$1 Bilhão no banco desde sua fundação. Outros países responsáveis pela instituição são: Índia, África do Sul, Rússia e China.

O banco de fomento para os países em desenvolvimento foi criado em 2015, e, em seus primeiros anos de funcionamento foram aprovados quatro projetos brasileiros que abrangem as áreas de energia renovável, construção de estradas, reconstrução de ferrovias, esgotamento sanitário, telecomunicações e refinarias da Petrobras. Os dados são do estudo Arquitetura Financeira Conjunta do BRICS: o Novo Banco de Desenvolvimento que lançado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea).

Estima-se que o déficit em obras de infraestrutura nos países em desenvolvimento seja da ordem de US$1 Trilhão a US$1,5 Trilhão. Criado para oferecer crédito a projetos de infraestrutura e desenvolvimento sustentável nos BRICS e em outros países em desenvolvimento, o NDB aprovou, entre 2016 e 2018, 30 projetos num total de US$ 8,1 bilhões. Segundo a pesquisa, quase um terço do valor se destina a financiamentos no setor de transporte, enquanto 26% é direcionado à energia limpa.

O Brasil, como um dos cinco acionistas do NDB, já aportou US$1 bilhão até 2019 e deverá destinar mais US$ 1,050 bilhão para a instituição até 2022. Até o momento, o banco já recebeu aportes de US$ 5,3 bilhões de seus sócios fundadores, e a meta de integralização do capital até 2022 é de US$10 Bilhões.

Segundo a Agência Brasil de Notícias, em novembro de 2019 está prevista a inauguração de um escritório no Brasil, na cidade de São Paulo.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: