sáb. ago 17th, 2019

A Fraternidade Humana

A nova tentativa de se criar uma Religião Universal está sendo executada pelo Antipapa Francisco e líderes islâmicos.

No início deste mês o usurpador Francisco partiu para uma viajem aos Emirados Árabes Unidos. Foi a primeira visita de um líder da Igreja Católica à península arábica. Francisco foi confraternizar com os maiores perseguidores de seus fiéis.

Lá, o falso profeta assinou em conjunto com o Grande Imã Al Tayyeb uma declaração chamada “Documento sobre a Fraternidade Humana – Declaração de Abu Dhabi”. Essa declaração nada mais é do que um novo levante de Satanás para aniquilar o Cristianismo, destruindo suas raízes e fundindo-o à religião que mais o persegue.

O documento se abre afirmando: “em nome de Deus que criou todos os seres humanos iguais nos direitos, nos deveres e na dignidade, em nome da inocente alma humana que Deus proibiu de matar, em nome dos pobres, dos órfãos e das viúvas, dos refugiados e dos exilados, de todas as vítimas das guerras e das perseguições”.

O ecologismo aparece no seguinte trecho: “pedimos a nós mesmos e aos líderes do mundo, aos artífices da política internacional e da economia mundial, para que se empenhem seriamente em difundir a cultura da tolerância, da convivência e da paz, para que intervenham, o quanto antes, para deter o derramamento de sangue inocente e acabar com as guerras, os conflitos, a degradação ambiental e o declínio cultural e moral que vive o mundo de hoje”.

O discurso marxista surge em outra passagem: “as crises políticas, a injustiça e a falta de uma distribuição equitativa dos recursos naturais – dos quais se beneficia apenas uma minoria de ricos, prejudicando a maioria dos povos da terra – geraram, e continuam a fazê-lo, um grande número de doentes, de necessitados e de mortos, causando crises letais das quais são vítimas vários países. Diante de tais crises que levam a morrer de fome milhões de crianças já reduzidas a esqueletos humanos – por causa da pobreza e desnutrição -, reina um silêncio internacional inaceitável”.

“Firmemente que as religiões não incitam nunca à guerra, não solicitam sentimentos de ódio, hostilidade, extremismo, e nem convidam à violência ou ao derramamento de sangue. Essas calamidades são fruto do desvio dos ensinamentos religiosos, do uso político das religiões e também das interpretações de grupos de homens de religião”, afirmam os líderes religiosos, fingindo que o Islã nunca foi uma religião de guerreiros desde seu nascimento.

Tudo isso é o chamado Crislam. Esse movimento nasceu na Nigéria durante os anos 1990 buscando apaziguar os ânimos entre cristãos e islâmicos. A Bíblia Sagrada e o Alcorão são considerados os dois livros sagrados dessa seita.

Agora, o que Francisco está fazendo é tornar o Crislam a sua própria Religião Universal. Para isso ele utiliza palavras como “paz” e “tolerância” como forma de justificar o fim das diferenças entre as religiões e as pessoas. É algo satânico, pois joga no lixo toda a Revelação e o Sacrifício do Senhor na Cruz.

A Igreja Católica atravessa sua pior crise desde a Revolução Francesa. Está de joelhos diante de um apóstata enviado pelas Trevas. A sua sobrevivência é a sobrevivência do Ocidente. A Cristandade está enferma. É um corpo esquartejado com uma pequena parte ainda controlada pela Cabeça.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: