sex. abr 26th, 2019

Acidente com barragem em Brumadinho pode ter sido sabotagem

Em matéria publicada no último Sábado (26), o portal de notícias Crítica Nacional, comandado pelo jornalista Paulo Enéas, o site afirma que a barragem havia passado por vistoria recente e não apresentava danos, o ambiente não havia colaborado para a piora no quadro de contenção da barreira, e chama a atenção o rápido alinhamento das várias vozes esquerdistas na imprensa em seu discurso contra o governo e em torno de um maior controle do Estado sobre a empresa, o ramo de mineração e leis ambientais.

Um dos fatos mais marcantes na abordagem feita pelo Crítica Nacional é no sentido de que o ambiente não colaborou para a catástrofe. Uma vez que a incidência de chuvas na região da cidade foi pequena nos últimos dias. Caso contrário, o aumento no volume e densidade dos rejeitos seriam notórios, o que de fato sobrepujaria a pressão no concreto. Além disso, segundo as fontes de Paulo Enéas, a mina estava em processo de encerramento de atividades, não estava mais em operação. Ou seja, a barragem não recebia mais dejetos frutos da atividade mineradora em Feijão. Logo, o estouro pode não ter ocorrido por sobrecarga.

Fontes da área de engenharia afirmam que a tecnologia brasileira é de ponta e está entre as melhores no mundo. A empresa alemã TÜV SÜD fez uma vistoria no local em Dezembro atestando que não oferecia risco de rompimento, e de fato só não oferecia porque a mina estava inoperante nos últimos quatro anos. Ademais, drenos atuavam no escoamento da água por entre os dejetos. A possibilidade de entupimento até existe, no entanto o monitoramento constante desses drenos não indicou isto. Caso houvesse algum tipo de infiltração na própria parede da barreira, seria perceptível a olho nu, pois o volume de rejeitos diminuiria no local. Das três barragens existentes, somente uma se rompeu, soterrando uma secundária. A que restou será reforçada afim de evitar novas catástrofes.

Juntando as informações técnicas até agora, a hipótese de sabotagem realmente não pode ser descartada. Do mesmo modo, a de negligência por parte da empresa ou funcionários. O mais estranho em tudo isso é justamente a uniformidade no discurso opositor, esquerdista. Logo após o anúncio do rompimento, clamores por maiores intervenções do Estado na área -como se isto por si só fosse garantia de imunidade a novos acidentes- e leis ainda mais restritivas do que as assumidas durante os governos de PT e PSDB -leis que vindas de fora, para controlar nosso subsolo tão somente, e que não traduzem exatamente os anseios e necessidades reais do país- fossem discutidas. (Fizemos uma matéria onde comentamos isso, acesse-a aqui).

Em meio à guerra política trazida à luz por eles, vimos uma rápida mobilização do governo Jair Bolsonaro, que discursou às vítimas e enviou prontamente ministros para averiguarem de perto a situação, além de ir pessoalmente assim que pôde, mesmo poucos dias antes de uma complicada cirurgia, sobrevoar a área afim tomar mais medidas cabíveis. Bem diferente de Dilma, que levou mais de uma semana para ir visitar a cidade de Mariana -à época mais preocupada com seu impedimento do que com a população sofrida.

Esperamos as investigações, colocando todas as hipóteses em discussão, pois a esquerda detém a voz mais alta e discurso dominante nos órgãos de imprensa, já está se mobilizando em torno do discurso de desastre ambiental para aumentar seu controle sobre as pessoas e desviar o foco dos seus envolvidos, Fernando Pimentel e Dilma Roussef.

Você pode ter acesso à reportagem completa do Crítica Nacional clicando aqui.

1 thought on “Acidente com barragem em Brumadinho pode ter sido sabotagem

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: