sáb. ago 17th, 2019

A relação entre o Espírito de Liberdade do povo brasileiro, o nascimento do menino Deus que trouxe a real liberdade para os homens e a eleição de Bolsonaro: a esperança de mudança no Brasil de 2019.

Com algum atraso, proposital, venho escrever acerca da festividade comemorada na data de 25 de Dezembro, anteontem. Hoje pela manhã, da janela do carro, observando o mar, conversava com meus pais a respeito dos últimos acontecimentos realmente importantes na nação: a eleição de Bolsonaro, a perseguição -velada e declarada- à sua pessoa (antes, durante a campanha, e a que virá com maior intensidade, a partir do ano que vem), das liberdades que teremos com o novo regime aplicado pelo presidente eleito e de como isto tudo parece obra divina, um “livramento de Deus”, nas palavras de minha mãe.

Na verdade, de fato há um elemento sobrenatural que rodeia o Brasil, desde a sua fundação.

Quando portugueses saíram a desbravar os mares, numa época cheia de superstições sobre monstros marinhos, interrogações sobre o que se encontraria do outro lado (por mais que hajam evidências de que se sabia da existência da América por parte de Portugal antes de efetivamente a descobrirem, a travessia marítima, relativamente nova entre Europa e América do Sul, era rodeada de perigos e experiências inéditas), a busca do Rei  de Portugal por um paraíso na terra, onde se iniciaria uma nova civilização cristã era o que realmente movia aqueles homens no ímpeto do descobrimento; missões, um local para iniciarem um Reinado para Cristo e expandirem a Fé Cristã -marca que Portugal carregava desde a visão de Afonso Henriques na batalha de Ouriques.

Logo em que chegaram, contemplaram o paraíso na terra que buscavam. Portanto, ato contínuo à descoberta, entregaram a nova terra a Deus, realizando uma missa. Esse cerimonial, único na história do mundo, marca o descobrimento do Brasil e sua entrega ao Criador. O céu daqui é o único de onde pode-se ver a constelação em forma de cruz -que é o Cruzeiro do Sul-, marca de que Deus tem guardado essa nação para todo sempre. José Bonifácio, o patriarca da Independência e nosso Pai Fundador, dizia que da mistura de raças (que, no mundo, só existia introjetada de modo natural na população aqui, desde João Ramalho e outros portugueses, que, no século XIV, iniciaram a civilização brasileira misturando-se sem qualquer preconceito aos nativos), que o brasileiro, saído da mistura de Brancos, Índios e Negros, seria o novo Aristóteles.

O fato de haverem padres nas embarcações e de os portugueses terem, na abordagem com os nativos em todas as terras onde pisavam, um trato e uma moralidade bem melhor do que outros povos europeus (como, por exemplo, holandeses e espanhóis) demonstrava o porquê de, no Brasil, a mistura de raças ter sido tão bem-sucedida.

Diante disso, dentro de todo brasileiro há introjetado empreendedorismo, perseverança, sabedoria, amizade, em suma: o Espírito de liberdade, que nos acompanha desde 1500, quando aqui aportaram as naus de Pedro Álvares Cabral.

Por mais que a maioria dos brasileiros não saibam disso, porque o ensino pífio dos professores doutrinadores marxistas, infestados nas escolas e universidades, criminosamente esconde de nós a nossa própria história, uma coisa eles jamais conseguirão conter: O Espírito de liberdade do brasileiro. Esse Espírito, dentro de cada alma brasileira somado à proteção divina que nos acompanha desde o descobrimento desta vasta e rica terra, proporcionou escapes durante nossa história. Escapamos da ditadura varguista, das duas tentativas de revolução comunista no século XX (nos anos 1930 e em 1964) e, agora, escapamos de sermos espoliados por mais alguns anos pelo esquema de poder socialista do Foro de São Paulo, imposto pelo PT com a conivência da “oposição” PSDBista desde sua fundação.

Em 2018, tudo isso se mostrou com a improvável eleição de Jair Messias Bolsonaro. O povo lutou contra o estamento burocrático composto por mídia, políticos, ONG’s e órgãos estatais.

Quando Jesus veio ao mundo, o que simbolicamente comemoramos todo 25 de Dezembro, marcou um evento único: Deus se fazendo homem para salvar a humanidade dos poderes e das hostes malignas. Esse evento está intimamente ligado a nós, no momento em que assumimos um lado na luta pela manutenção da liberdade que Ele veio nos trazer. Seja como missionário levando a mensagem de Cristo em outra nação, seja como o pregador, religioso ou não, de uma mensagem que traga liberdade às mentes, ou lutando pela manutenção dessa liberdade em seu país (como muitos brasileiros têm feito desde 2014).

Infelizmente, hoje, a esquerda tomou o Jesus que traz essa real liberdade ao mundo e o trocou por um progressista, o fez um revolucionário, que prega a favor do aborto, do homossexualismo, que reduziu uma mensagem de salvação da alma à luta contra a pobreza e uma “opressão”, que na verdade só traduz os anseios dos socialistas.

Não caia nessa. A mensagem da Bíblia, que traduz a comunicação e vontade de Deus para o homem, tendo seu ápice na vinda de Cristo, não é isto. Permita-se conhecê-lo verdadeiramente, leia a Bíblia e busque para isso o auxílio de pessoas idôneas, não comprometidas com uma causa secular ou ideologia, mas com a verdadeira mensagem do Evangelho. Teologias da Libertação e da Missão Integral estão aí para pregarem doutrinação e ideologia política, não Bíblia.

2019 começará com a esperança de que mais e mais pessoas conheçam as liberdades da alma, do Espírito e da história, para que descubram que estão nesse mundo porque outros lutaram por isso e construíram as bases nas quais hoje estamos sustentados, por isso eles e as conquistas milenarmente testadas e criadas pelas pessoas comuns merecem ser lembradas, honradas e valorizadas. Isso é o conservadorismo. E, que Deus nasceu um menino e morreu na Cruz um homem, para salvar as almas e inspirar, através de seu Espírito, que age e se move dentro de servos seus espalhados pela terra, pessoas para lutar pelo Seu nome e pelas Suas causas, mostradas a cada um, pessoalmente. Isso é cristianismo.

Tenhamos essa síntese de salvação dentro de nós: conservadorismo e cristianismo. Um feliz Natal para você.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: