dom. dez 16th, 2018

Essa série de artigos tem por objetivo mostrar para o leitor a lenta e bem-sucedida tomada de poder pelos agentes globalistas. Essa empreitada foi alicerçada em um plano que não sofreu alterações durante as várias gerações que o executaram. Só recentemente o poder desse grupo – que o professor Olavo de Carvalho apelidou de Consórcio – começou a sofrer derrotas políticas em vários países espalhados pelo Ocidente. Irei me basear nos áudios Myron Fagan, que foi um produtor e diretor de teatro e cinema estadunidense e denunciador do esquema que começava a se apossar do meio artístico e da mídia.

Na década de 1760 a seita Illuminati foi criada por Adam Weishaupt, um judeu que se converteu ao catolicismo, mas desertou instigado pela Casa de Rothschild. O plano elaborado por ele previa a destruição de todos os governos nacionais e das grandes religiões. Esse objetivo seria alcançado dividindo as massas em campos opostos em questões sociais, econômicas, políticas e outras.

Weishaupt criou as Lojas do Grande Oriente para serem os quartéis-generais dos seus colaboradores nesse projeto maligno. O plano de operações desse grupo tinha como meios de ação:

  1. O uso de suborno e chantagem para obter o controle de homens que ocupavam cargos de destaque no cenário político e econômico;
  2. O recrutamento de alunos nas universidades que possuíssem excepcionais capacidades mentais e treiná-los em internacionalismo;
  3. Todas essas pessoas deveriam ser colocadas para assessorarem os executivos de alto escalão a adotarem políticas de longo prazo que serviriam aos planos dos globalistas;
  4. A diretiva mais importante do plano era o controle total da imprensa para transmitir às massa que um governo mundial seria o único caminho para a paz perpétua.

Usar a via revolucionária estava nos planos de Weishaupt, que queria utilizar a França como ponta-de-lança para um movimento revolucionário mundial. Ele enviou um mensageiro à Paris com suas diretrizes para colocar o plano em prática, mas no caminho um raio atingiu e matou esse mensageiro. A polícia da Baviera descobriu os documentos junto ao corpo e entregou às autoridades. Após estudar o plano, o governo da Baviera ordenou uma batida nas Lojas do Grande Oriente e descobriu provas adicionais do planejamento dos Illuminati para a criação de um governo mundial.

Em 1785 os Illuminati foram postos na ilegalidade na Baviera e as Lojas do Grande Oriente foram fechadas. Em vista disso, Weishaupt ordenou que seus discípulos se infiltrassem nas lojas da Maçonaria Azul e formassem grupos de influência dentro de todas as sociedades secretas. Daí em diante os conspiradores vestiram o manto da filantropia e do humanitarismo para ocultar suas atividades subversivas e revolucionárias.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: